segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mais uma vez... obrigado!

Uma família inglesa viajava para a Escócia nas férias de verão. A mãe e o pai ansiavam para se divertir com o filho pequeno nas belas paisagens escocesas. Um dia, o menino saiu andando pelos bosques, sozinho, e chegou a um açude. Como qualquer garoto da sua idade, tirou a roupa e mergulhou. Mas estava totalmente despreparado para o que aconteceu a seguir. Antes que pudesse usufruir das delícias da água, foi tomado por uma violenta câimbra. Lutando para manter-se na superfície, gritou por socorro.



A luta pela vida estava quase perdida quando, por sorte, um menino numa fazenda próxima ouviu os gritos desesperados e correu para salvar o inglês. O pai do quase afogado ficou muito grato, é claro, e quis conhecer o salvador do filho. No dia seguinte, se encontraram e o inglês perguntou ao corajoso rapazinho quais eram seus planos para o futuro. O garoto respondeu:



– Acho que vou ser fazendeiro, como meu pai.

O pai agradecido fez outra pergunta:

– E você gostaria de ser alguma outra coisa?

– Ah, sim! - respondeu o menino. - Sempre quis ser médico, mas somos pobres e minha família não pode pagar meus estudos.

– Muito bem - disse o inglês. - Você pode seguir seu desejo e estudar medicina. Tome as providências e eu arco com as despesas.


Assim, o garoto escocês veio a ser médico.


Anos depois, em dezembro de 1943, Winston Churchill ficou gravemente doente, com pneumonia, no norte da África. Avisaram Sir Alexander Fleming, que havia descoberto uma droga miraculosa, chamada penicilina.



Dr. Fleming imediatamente embarcou num avião para a África, levando o remédio para o primeiro-ministro. E salvou pela segunda vez a sua vida, pois era Winston Churchill o menino inglês que Alexander Fleming tinha socorrido no açude, muitos anos antes.



Diga “obrigado”.



A palavra “obrigado” tem um tremendo poder. Cada vez que você a diz para uma outra pessoa, aumenta a auto-estima dela. (...)



Desenvolva o hábito de dizer “obrigado” a todo mundo por tudo e qualquer coisa que lhe façam. Durante todo o dia, diga “obrigado” às pessoas que fazem coisas por você. (...) E quanto mais grato você for pelo que tem, mais coisas vai ter para agradecer.



Aliás... obrigado por ler!






Aquele que recebe um benefício não deve jamais esquecê-lo; aquele que o concede não deve jamais lembrá-lo. (Pierre Charron)



Texto adaptado do livro Insight I, de Daniel Carvalho Luz

Nenhum comentário: